Clínica Fisio Terapêutica Zavarize - Fisioterapia, Clinica Zavarize, Fisio Zavarize, Mogi Mirim, RPG, Atendimento Neurológico, Pilates, Fisioterapia Geral, Auriculoterapia, Fisioterapia Respiratória, Hidroterapia, Terapia Ocupacional - Mogi Mirim
CREFITO-3/1159

Artigos  
Artigos
 
24/06
27/04
11/03
 
 
Dicas & Informações
 
24/07
08/07
23/05
 
Atividade Física e bem estar
15/09

Atividade Física e Bem Estar

ATIVIDADE FÍSICA E BEM ESTAR

A atividade física deve ser vista como fonte promotora de saúde e de prevenção de doenças. Muitas das patologias que levam as pessoas a procurarem a fisioterapia poderiam ser resolvidas ou amenizadas com a prática da atividade física regular.

Certos tipos de dores na coluna, nos músculos e nas articulações nada mais são do que consequências da inatividade. Esta inatividade provoca a perda de força muscular e também de flexibilidade dos músculos. Os músculos ficando rígidos e fracos levam a uma piora da postura do corpo e piora ainda, a estabilização das articulações. Os joelhos e tornozelos, por exemplo, ficam propensos e às entorses e o indivíduo fica exposto às quedas.

A falta de atividade física pode acarretar uma diminuição da circulação sanguínea e o aumento da perda do cálcio pelo corpo, estimulando assim, a degeneração precoce dos ossos. As doenças características desta situação é a Artrose e a Osteoporose que afeta a coluna e as articulações.

Mais qual o melhor exercício para cada um? Costumo dizer que os exercícios físicos benéficos para o corpo são aqueles que conseguimos realizar com prazer e, principalmente, sem muito esforço. É claro que a natação, a Ioga e o Pilates são bastante indicados para quem tem problemas de coluna, por exemplo, mas o praticante deve, acima de tudo, gostar da atividade. Se não gostar, não há adesão e o indivíduo acaba abandonando o exercício.

Qualquer prática de atividade física é possível de ser realizada, desde que, se respeite algumas questões. Uma avaliação médica deve ser realizada antes do início de uma prática exercícios. Mediante as orientações médicas para cada caso, é possível iniciar uma prática com segurança.

Há até pouco tempo atrás se dizia, por exemplo, que a musculação não deveria ser realizada por indivíduos idosos. Hoje já se sabe que os exercícios com peso beneficiam as pessoas mais velhas, favorecendo-as a andarem melhor e com mais agilidade, a terem uma postura mais ereta, ajudando inclusive no fortalecimento dos ossos e na fixação do cálcio.

Portanto, o exercício bom é aquele que fazemos com prazer e sem esforço exagerado. Pode ser a caminhada, a hidroginástica, a dança de salão, o vôlei, a musculação, dentre tantos outros. O importante é seguir orientação adequada de um educador físico e praticar com regularidade.

O tempo de atividade também deve ser regulado pelo seu bem estar. Se você se sente bem com 20 minutos de caminhada, ótimo. E você ainda pode realizá-la duas vezes ao dia se quiser. Se você tem o hábito de correr 40 minutos e não se sente exausto, perfeito. Continue assim! Só aumente o tempo de cada atividade se isto não lhe causar esforço excessivo. Isto faz com que sempre queiramos fazer mais.

Não se deve esquecer que uma prévia avalição médica é sempre necessária, principalmente, nos casos de doenças como hipertensão, diabetes, idade avançada, problemas ósseos e articulares. A avaliação do fisioterapêutica ocorre especificamente para identificar os problemas relacionados à postura, aos músculos e aos movimentos do corpo.

Às vezes deparamos com situações em que a pessoa ficou muito tempo sem realizar exercícios e aí ela decide se programar para iniciar uma atividade. Então, essa pessoa “imaginária” traça o plano de fazer caminhadas diariamente. Ela começa caminhar uma hora e meia todos os dias por conta própria. Se sente pesada e cansada, mas o bem estar psicológico da prática do exercício e a vontade de se exercitar, a faz persistir. Geralmente essas pessoas desistem depois de certo tempo. Foi esforço demais, tanto físico como psicológico para manter uma rotina extenuante de exercícios diários de uma hora e meia.

Por isso, defendo a tese de que o exercício deve ser prazeroso acima de tudo. Só assim poderemos ter regularidade e evolução da prática. A atividade física regular passa então a ter efeitos muito benéficos para o bem estar e para a melhora da qualidade de vida, melhorando a autoestima e a saúde do corpo de maneira geral.

Sergio Fernando Zavarize


Fonte:Jornal O Impacto - 07/08/2011




 

« Voltar